Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chávena de Chá das Cinco

É chávena de chá só que agora bebe-se café

Chávena de Chá das Cinco

É chávena de chá só que agora bebe-se café

30.11.19

Parece que tenho um mês para viver um ano!

Carlota
Estão a ver como todos os anos fazemos falsas promessas sobre o ano que se seguirá? Gostaria de dizer que não sou culpada do mal de que quase todos sofremos - dizer que vamos fazer em vez de o fazer. Eu sei que devem estar um bocado à toa com o que eu estou para aqui a dizer, se bem que outra parte de mim me diz que muitos de vocês sabem exatamente daquilo que estou a falar. Para quem não sabe, passo a explicar, falo das malditas resoluções de ano novo. Este ano não me recordo (...)
30.08.19

Isto de escrever um livro

Carlota
Escrever um livro tem muito que se lhe diga. Não vou ficar aqui a dizer que o meu livro é uma obra de arte, até porque não penso isso, mas mesmo que pensasse seria suspeita, afinal não posso julgar algo analiticamente sendo que fui eu que o escrevi. Ao longo do meu tempo por outras bandas tenho vindo a escrever uma comédia romântica com os meus devaneios do costume. Diria que sou uma daquelas pessoas que faço personagens inspirados nas pessoas que me rodeiam, até porque sou (...)
29.08.19

Setembro e isto das reentradas

Carlota
Como já sabem, eu sou uma daquelas pessoas que pensa demais quando não tem muito porque pensar nas coisas sobre as quais pensa demais. Estão a ver como ainda agora acabei de fazer isso ao não fazer sentido nenhum e ficar a pensar se fiz ou não? Enfim, penso que também é do conhecimento dos visitantes mais antigos que sou uma pessoa que não considera janeiro o início de algo. Em parte porque a minha vida não muda lá grande coisa, a única coisa que muda é que fico sempre com (...)
16.12.18

A tomada de decisão

Carlota
Durante estas minhas 16 primaveras, nunca houve um único dia que fosse no qual eu me sentisse tão pressionada como nos últimos tempos. Sinto que desde que cumpri os meus 15 anos que a vida tem vindo a modificar-se, talvez por ter a idade adulta (como muitos consideram) à porta, ou por ter atingido um certo patamar da vida. A minha vida tem-se resumido a diversas escolhas, sendo que apenas posso optar por uma. Creio que quando crescemos estas situações acabam por acontecer (...)
13.11.18

A questão do arriscar

Carlota
Quantas vezes sentimos uma certa hesitação perante as nossas escolhas ou pensamentos? Eu sempre senti que, por vezes, eu tinha a vontade, mas era como se houvesse uma força contrária que me impedisse de dar o passo em frente e literalmente going for it. Ao longo da vida, penso que todos nos cruzamos com essa força. Muitos chamam-na de medo, outros chamam-na de receio... eu penso nela como o que é para mim - um entrave. Sempre tive medo de rotinas, isto porque uma vez que as (...)
12.11.18

Depois da paz, vem a tormenta

Carlota
Esta é a frase que descreve o meu mês de novembro. Como todos sabem, novembro é sinónimo de testes, exames, frequências, elaborações de orçamentos, you name it. O facto é que, há sempre uma semana que faz a separação desta força da natureza, desta catástrofe natural, do restante mês atribulado com conta, peso e, acima de tudo, medida. Essa semana amada, mas ainda assim profundamente odiada, é esta semaninha (pelo menos para mim). Tudo bem que tenho uma apresentação de (...)
11.11.18

Isto de ser Novembro...

Carlota
Tem muito que se lhe diga. Quer dizer, como assim os meses andam a passar mais rápido que a própria luz?  Sinto que faço muitas sagas do "Isto de ser...", mas a verdade é que têm toda uma razão de ser. Hoje, é dia 11 de novembro, pessoas. 11 de NO-VEM-BRO. Tipo, 11/11. Como é que 2018 está a passar tão depressa? Lembro-me da fase inicial deste blog. Fim de 2017 e inícios de 2018. Como assim, já está a fazer um ano que vim para este mundo e comecei a mandar postas de pescada (...)
04.11.18

Breve reflexão acerca da situação mundial

Carlota
Atentados. Violência. Guerra. Fascismo. Terrorismo. Feminismo. LGBT Community. Manifestações. Violações de tudo e mais alguma coisa. Eleições desastrosas. Economias de rastos. Migrações. Fome. Pobreza. Chauvinismo. Onde é que chegamos? Ou melhor, como é que chegamos aqui. Atentados terroristas têm feito manchetes nos nossos jornais, aterrorizado-nos completamente. Falsas promessas que provocam o caos e o medo num geral. A Península Ibérica vai ser dominada por muçulmanos em (...)
23.10.18

Vamos falar sobre... maquilhagem

Carlota
Ai a maquilhagem! Aquelas fotos exuberantes do Instagram com aquele olho poderoso, aquele tutorial da Helena Coelho ou da Rita Serrano que nos deixa a pensar "mas estas mulheres são o quê, caraças? Um poço de divindade?".  Como sabem, eu sou uma amante nata de maquilhagem ao ponto de saber no meu interior que se entrar numa loja de maquilhagem, será o fim da saúde do meu cartão multibanco. Eu sei que se eu entro, eu vou levar qualquer coisa e vou-me arrepender mais à frente, mas (...)
21.10.18

A importância de fazer análises

Carlota
Desde criança que tenho imenso medo de agulhas. Sempre que era necessário levar uma vacina chorava às três pancadas e a única forma de me fazer comportar de forma minimamente correta era mesmo prometer-me que logo a seguir íamos comprar o meu gelado favorito ou comer a sobremesa que eu quisesse (mesmo à pirralha, mas pronto). Não foi até por volta dos meus 13 anos, que as agulhas começaram a assumir um grande papel na minha vida. Praticamente todos os meses tinha que ir fazer (...)