Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chavena de Chá das Cinco

Uma chávena de chá, um prato com biscoitos e conversas intermináveis

Chavena de Chá das Cinco

Uma chávena de chá, um prato com biscoitos e conversas intermináveis

23
Out18

Vamos falar sobre... maquilhagem

Ai a maquilhagem! Aquelas fotos exuberantes do Instagram com aquele olho poderoso, aquele tutorial da Helena Coelho ou da Rita Serrano que nos deixa a pensar "mas estas mulheres são o quê, caraças? Um poço de divindade?". 

Como sabem, eu sou uma amante nata de maquilhagem ao ponto de saber no meu interior que se entrar numa loja de maquilhagem, será o fim da saúde do meu cartão multibanco. Eu sei que se eu entro, eu vou levar qualquer coisa e vou-me arrepender mais à frente, mas ao mesmo tempo agradecer quando estiver bem de finanças outra vez pelas compras fantásticas que fiz.

Este fim de semana respondi à tag dos meus 10 segredos de maquilhagem, e uma das perguntas falava da minha opinião da maquilhagem. Eu deixei-a muito vaga, até porque senti que precisava de falar disto abertamente num post, dando completa atenção ao tópico, para não cansar as pessoas com o testamento de resposta, mas também porque a temática merece o seu destaque.

Como qualquer questão relativa ao mundo da Moda e da Beleza, é algo polémico. O uso de maquilhagem é encarado por muitos como uma forma de mascarar a insegurança e uma demonstração do quão somos incapazes de aceitar quem somos.

Recentemente, eu e a Sofia tivemos uma conversa acerca do tema e chegámos à conclusão que temos visões acerca do assunto bastante semelhantes, senão iguais mesmo. Ela até chegou a fazer um post muito interessante sobre a visão dela pegando em fragmentos de conversas com as amigas (se estiverem interessados, o que acredito que estejam, é só clicar aqui), mas hoje eu estou aqui para explorar outros pontos que tenho vindo a conhecer ao longo dos tempos.

Para o melhor ou para o pior, dependendo do ponto de vista, a maquilhagem faz parte de qualquer pessoa e está no nosso dia a dia, independentemente de serem consumidores ou consumidoras desta indústria, ou de serem contra ou a favor do seu uso, ou até mesmo do próprio sexo, está connosco e sempre estará. Todos temos a mãe, a irmã, a prima, a tia, a sobrinha, a nora, a sogra, a amiga, a vizinha, a colega de trabalho ou a senhora que nos serve o café cada vez que vamos tomá-lo fora, que usa maquilhagem, sendo ela subtil ou full glam mesmo dando aquele CHEGUEI bem básico. 

A maquilhagem pode ser utilizada para realmente esconder marcas, para esconder inseguranças e até problemas de autoestima, e sabem que mais? Qual é o problema disso? Vocês gostam das olheiras de panda que têm? Sentem-se confortáveis com elas? Se sim, fico muito feliz por vocês, eu sofro delas e não gosto lá muito (ainda que não seja o exemplo da insegurança em pessoa neste aspeto). Agora, mas se eu posso ficar mais satisfeita quando olho ao espelho e ser mais feliz ao melhorar-me, que pode haver de errado com isso? Quê, agora não posso querer ser melhor ou pelo menos sentir-me mais feliz com a minha aparência porque estou a tentar esconder-me por trás de um montão de químicos? 

Considero que temos que nos sentir bem na nossa pele, isso vem acima de tudo. O princípio de que usar maquilhagem porque temos vergonha da nossa aparência é, deveras um princípio não muito correto, até porque devemos aceitar quem somos. Ainda assim não sou contra, porque se torna uma pessoa mais segura de si mesma (até porque realmente é assim que qualquer mulher se sente com aquele batom vermelho mesmo ali podendo - poderosa). Aceita a pessoa que somos é todo um processo extenso e cheio de altos e baixos, demora algum tempo, e ainda que seja uma fase necessária no processo de autoestima, não devemos esquecer que durante esse processo a pessoa está a sofrer, porque não ajudar.

Acima de tudo, a maquilhagem hoje em dia é muito mais que um meio de nos tornar mais "bonitas" ou mais "poderosas" ou até mesmo mais "girboss". É uma forma de nos exprimirmos, é como um monte de tintas e pincéis que pintam a tela em branco que é a nossa cara.

Recentemente deparei-me com rapazes que usavam maquilhagem e confesso ter achado um pouco estranho ao princípio, mas depois olhei melhor para o assunto e cheguei à conclusão que, se a maquilhagem é uma forma de nos exprimirmos, e todos os seres humanos têm o direito de se exprimir, porque é que raio os rapazes não iriam poder utilizar maquilhagem? Ainda é um campo com portas por abrir? É. Ainda há muito preconceito? Sim, mas se formos a ver também há preconceito com a maquilhagem no geral, portanto não é só a questão de quem a usa, mas sim a sua existência.

Tal como já falei sobre isto com a Sofia, na minha turma já tivemos uma conversa casual que veio ao de cima por mero acaso, acerca desta temática e durante essa conversa uma colega de turma disse-me que eu nem precisava porque tinha uma pele demasiado boa. Mas a questão é, e se eu simplesmente gosto de me maquilhar porque lá está, é um gosto pessoal? Eu preciso de ter borbulhas na cara para me maquilhar, preciso de ter um conjunto de imperfeições para me maquilhar, aliás há um número exato que me diga se posso ou não maquilhar-me? 

Com isto, eu sou a favor do uso de maquilhagem. Para um boost de confiança para quem dele precisa, para um sorriso de quem o faz porque simplesmente é algo que adora, para aqueles que a utilizam como um meio de expressão e até para aqueles que precisam dela no seu dia a dia (não nos esqueçamos que Youtubers, apresentadores de televisão, atores, cantores e etc e afins, precisam de maquilhagem para sobressair nas ofuscantes luzes que apontam diretamente para eles e faz com que não sejam notados em câmara de forma correta.

Agora, quero também abrir um parentesis relativamente a tudo o que disse anteriromente. Posso concordar no uso da maquilhagem para pessoas com problemas de autoestima, mas não acho nada saudável quando se torna numa obcessão e num problema de dependência. Penso que independentemente de tudo, temos que saber olhar para nós sem maquilhagem, é importante sentirmo-nos melhores connosco, mas não podemos tornar-nos dependentes demais do veículo que nos faz sentir dessa forma. Lá está, é um veículo, não parte do nosso corpo. Se fosse suposto não termos a mínima falha, teríamos nascido assim.

Acima de tudo o resto que disse, devo dizer que apesar de o iluminador realçar e chamar à atenção, o melhor iluminador que temos à disposição é o nosso sorriso.

20
Out18

Tag | Os meus 10 segredos de maquilhagem

Durante os últimos tempos fui nomeada para algumas tags, o que é a razão pela qual vos trago as respetivas e amadas do coração. Ora, a primeira para a qual fui nomeada foi esta que se trata (como já deu para perceber pelo título) de algo que quem me segue há mais tempo sabe que eu adoro - maquilhagem.

Por essa razão, agradeço imenso à Sofia por me ter nomeado e aproveito para pedir mil desculpas por ter demorado tanto tempo em responder (provavelmente não foi taaanto assim, mas eu senti que foi, visto que sou a pessoa que responde straight away).

Com isto, vamos lá à maravilhosa da tag (notem o entusiasmo! Chega a ser ridículo, eu sei).

 

make up.png

 

1- Com quem é que aprendeste a maquilhares-te?

Para ser sincera, no fundo aprendi sozinha. A minha mãe nunca quis que eu usasse maquilhagem e não me deixava sequer comprar, por isso mesmo é que a minha coleção não é propriamente abrangente. No entanto, penso que me libertei dessas algemas (ou pelo menos tenho vindo a tentar, ao longo dos tempos) quando vi um vídeo da Acacia Brinley, no qual ela fez uma full glam make up. Foi com ela que aprendi, e depois claro, a ver um vídeo aqui e ali (sendo que também aprendi algumas coisas sozinha).

 

2- Quais são as youtubers de maquilhagem que mais te inspiram?

Como já disse anteriormente, Acacia Brinley (agora que casou Acacia Kersey, mas ainda conhecida como Acacia Brinley ou Acacia Clark), mas também me inspiro imenso na Helena Coelho. A Acacia Brinley como mãe, acaba por ser mais vaga no momento e tem vindo a mostrar looks mais vintage e também mais simples e casuais (não censuro nem u pouco, ou trocas a fralda à miúda e tomas um banho, ou estás preocupada em arranjar a criança e fazer a full glam make up). 

Quanto à Helena Coelho, foi a amiga Sofia que me viciou. Este ano comecei a acompanhar o trabalho dela com mais atenção e adoro. Primeiro adoro a personalidade, segundo identifico-me imenso, terceiro sou uma aspirante a make up artist (deixem uma jovem adolescente sonhar em paz, ok?!).

 

3- Quando o teu produto favorito acaba, compras um igual ou tentas procurar produtos novos?

Vai depender do quanto eu gosto dele. Penso que de todos os produtos que gastei até ao fim, aquele que mais troco são as máscaras de pestanas. Talvez porque ainda não encontrei a tal e, por isso, vou procurando aquela que me convence mais no mercado (e que eu, pessoa de 16 anos cujos rendimentos são a mesada encurtada que os pais dão, pode comprar). 

No entanto, se eu gostar de um produto a sério, eu renovo o stock. Caso aquele não tenha o meu coração guardado, dou oportunidade a outra marca para em mostrar aquilo que vale.

 

4- Um produto que toda a gente tenha elogiado e, quando testaste, odiaste?

Penso que sempre fui muito sortuda neste aspeto, isso ou talvez tenha extremo cuidado nestas coisas. Eu geralmente só me deixo ser influenciada se realmente olhar para aquilo e conseguir imaginar-me a usar aquilo para o resto da vida até ao fim dos meus dias (até aparecer outro produto que me vá convencer mais). No entanto, um produto que detesto profundamente são os rímeis da Kiko (mesmo péssima experiência com eles).

 

5- Um produto que jamais substituirias

Sem dúvida o meu batom vermelho da Kiko, mesmo que a minha cara pareça um verdadeiro panda dada a evidência das minhas grandes olheiras, o batom vermelho é a minha imagem de marca, até porque aqui a criatura é branca que nem a branca de neve.

 

6- Maior erro que já cometeste na tua maquilhagem

Tirem-me daqui porque acho que de me lembrar, até me dá naúseas. Então, assim quando eu comecei, eu achava que usar BB Cream na cor mais clara o tornava a minha cor (mentira), então agora pensem nisso juntamente com um corretor clarinho... exato, medo.

Portanto o meu maior erro era não saber reconhecer a minha cor, sem dúvida alguma mesmo!

 

7- As tuas 3 marcas favoritas de maquilhagem 

Gosto da Kiko, gosto da Maybelline e gosto, sem dúvida alguma, da marca da Sephora propriamente dita. Marcas boas e relativamente baratas, o que a minha carteira agradece milhões!

 

8- Qual é a tua opinião sobre o uso da maquilhagem?

Tal como já referi várias vezes antes, eu adoro a maquilhagem. Não associo o seu uso a uma forma de esconder aquilo que não gosto em mim por insegurança, mas sim porque quero melhorar e gosto muito. Aliás, estou como a Helena Coelho. Primeiro maquilhar e apenas depois comer, porque comer come-se qualquer coisa em qualquer lado, e maquilhar não é bem assim (claro que não aplico sempre, mas maior parte das vezes esta é A filosofia de vida).

No entanto, isto é um assunto que merece uma abordagem diferente, o que é algo que quero partilhar num post individual. Ficam, ainda assim, com a ideia que não tenho nada contra e que acho que pode ser algo bastante positivo.

 

9- Se ganhasses 200€, quais eram os produtos que comprarias?

As Paletas da Naked, mas como dessa forma acabaria num instante com o dinheiro, comprava a Naked Heat, comprava a máscara de pestanas BANG da Benefit, um batom ou outro da Clinique e, o grande corretor de olheiras da Nars. Claro que gostaria de comprar muitas outras coisas, mas estas estão no coração. Estas e um iluminador da Becca, como é óbvio.

 

10- Usas maquilhagem todos os dias?

Não, ainda que gostasse. Sucede-se que, agora que tenho franja, não tenho tempo para tudo (e tenho mesmo que tratar dela porque acordo a parecer sabe-se lá o quê. Quem tem franja entenderá). Com isto, e dado o facto que o calor faz com que derreta, não me tenho dado ao trabalho, o que é algo que pretendo voltar a fazer em breve. Isso e ir às compras de maquilhagem... já não vou há muito tempo...

 

Enfim, esta foi a tag. Uma vez mais agradeço à amiga Sofia por me nomear e, visto que não estou aqui para forçar as minhas amigas bloggers (acho que nenhum homem da blogosfera se interessa pelo tema, mas vocês é que sabem), deixo a nomeação em aberto e peço que, mesmo que não a façam, me contem um pouco a vossa relação com a maquilhagem, nem que seja o que pensam do seu uso. Tenho curiosidade em saber mais dos pensamentos alheios desse lado.

 

28
Ago18

Os meus essenciais | Maquilhagem

Maquilhagem, estuque, instrumento de expressão artística, chamem-lhe o que quiserem, eu aceito qualquer um. Se há algo pelo qual eu sou absolutamente apaixonada, essa coisa é, sem margem para dúvidas, maquilhagem.

Apesar de gastar grande parte do meu dinheiro em roupa, dado o meu gosto estupidamente caro (como podem ser aqui), outra grande fatia dos meus gastos pertence à categoria da maquilhagem. Chamem-me fanática, eu admito. Cada vez que entro numa loja de maquilhagem, eu sei que vou sair dali com menos uns euros na carteira e com mais um saquinho. Não sou capaz de combater esta parte de mim que é tão consumista, é mais forte que eu...

Enfim, isto leva-me a querer fazer um post com os meus essenciais, ou melhor, com os meus essenciais favoritos (isto porque se fizesse uma coleção iam descobrir o quão consumista e acumuladora eu verdadeiramente sou). 

 

Make up favs.jpg

 

     ☆ Necessaire

Provavelmente a coisa mais essencial para mim, já que é o lugar onde guardo todos os produtos que utilizo (ou que comprei, não gostei e ficaram para aí, ou aqueles que acabaram e eu nunca mais me lembrei de deitar fora).

A minha é da Women's Secret e foi-me oferecida por umas colegas do colégio pelo Natal. Adoro-a, na frente é um panda, no verso diz Lazy (convenhamos isso é tudo aqui que eu sou, já que eu adoro pandas e me identifico com um, e sou extremamente preguiçosa).

Um ponto ótimo que me fez trocá-la pela necessaire que eu tinha foi que necessitava de mais espaço, e apesar da antiga ter bastante espaço, uma parte da maquilhagem andava sempre por aí. Por esse motivo, tenho maquilhagem em três diferentes necessaires (fora aqueles produtos que andam aí perdidos pelas malas e mochilas).

 

     ☆ Corretor de olheiras

Sem dúvida é um must-have. Sou daquelas pessoas com olheiras à panda, se é porque não durmo ou se é por causa das alergias, isso aí não sei.

Antes eu utilizava sempre um bastante básico da Kiko, mas há uns tempos que ando a namorar o corretor Anti-Age da Maybelline, li e vi reviews em blog e canais de youtube, só que acabei sempre ou por não encontrar ou por não querer comprar na altura. Até que este mês fui à Pluricosméticas e encontrei nada mais, nada menos, que o meu amado. E pronto, não resisti e comprei-o.

Adoro a cobertura que tem, é o único capaz de me tirar as olheiras e tem um preço bastante acessível comparados com corretores de outras marcas que nem sempre tão o trabalho tão bem feito.

Ao mesmo tempo, sinto que este corretor em particular tem um aplicador um pouco estranho, dado que nunca tinha encontrado nenhum deste género. De qualquer maneira, é um daqueles produtos que comprei, usei e não me arrependi de ter comprado. Gosto bastante e aconselho a toda a gente que procura uma boa cobertura, mas ao mesmo tempo, um efeito luminoso.

By the way, se estão interessados em saber que tipo de pessoa sou, sou uma pessoa que espalha os produtos da pele com a beauty blender, nunca me dei com o tipo de pincéis indicados para espalhar bases e corretores.

 

     ☆ Máscara de pestanas

Ora máscara de pestanas é algo que me deixa sempre em dúvida e não posso dizer, após experimentar bastantes delas, que encontrei a tal. As pessoas todas adoram rímel, mas não me considero parte desse grupo, não tenho o "fetiche" por rímel, ou porque não o sei escolher ou porque simplesmente ainda não encontrei o meu chosen one. Seja qual for a razão, é aquela coisa que faz falta quando por exemplo fazemos a pele, mas não é algo indispensável.

Neste momento ando a utilizar uma da Kiko, à prova de água, com o intuito de curvar as pestanas. Prefiro esta em relação àquela que tinha antes, mas arrependo-me de não ter comprado com volume, já que é isso de que sinto mais falta.

Quero ver se invisto em algo melhorzinho, mas a ver vamos. Sou consumista, no entanto ainda tenho aquele pensamento do "um passo de cada vez".

 

     ☆ Batom

Entre batom e lipgloss sempre tive opiniões divididas. Quer dizer, apesar de gostar dos batons matte, a minha mãe não deixava que utilizasse, o que acabava comigo a sair sempre com um lipgloss na mão e deceção no fundo do coração.

Recentemente, consegui finalmente levar a minha à avante e lá consegui trazer uns batons mattes da Kiko. O meu favorito é o vermelho (para os curiosos é o a cor nº329) e eu uso-o todos os dias... faz-me sentir mesmo feliz e bem comigo própria, definately like a #girlboss.

 

     ☆ Blush

Não é propriamente, extremamente essencial. No entanto, é sempre agradável dar uma corzinha adicional às maçãs do rosto. Afinal, como diz a Taylor Swift "red lips and rosy cheeks".

Sinto que nunca tive um blush decente, e sinto bastante falta em comprar um. Talvez seja uma das próximas compras, um blush/bronzer e um iluminador, dá sempre jeito!

 

     ☆ Um pouco de motivação

Sem dúvida algo que necessito, dependendo dos dias. Estão a ver quando os dias correm mal e até a maquilhar a pele sujam a vossa camisola e até mesmo o cabelo? São dias que detesto e que às vezes tenho que superar, chega a ser de manhã e já estou desesperadamente a desejar a hora de ir para a cama, mas mais importante ainda, acordar no dia seguinte, na esperança que tudo corra melhor.

Ter uma motivação é sempre importante, especialmente quando estamos mesmo num dia não em todos os sentidos. Algo que aprendi é que, não importa o dia ou estado do tempo lá fora, eu tenho que sair de casa confiante e a sentir-me poderosa. Se isso equivale a uma cara lavadinha, então é assim que sairei.

No fundo, acredito que a maquilhagem é algo que expressa o nosso estado de espírito, mas que nem sempre é percetível a todos, já que a interpretação vai de pessoa para pessoa. Acima de tudo, gosto de me usar a mim mesma, ou seja, não quero parecer outra pessoa ou maquilhar-me a pensar noutra pessoa, mas sim em mim.

Considero a motivação um essencial para toda a gente. Não só para quando nos maquilhamos porque não nos apetece. Se não apetece e nos sentimos confortáveis, usemos a nossa carinha maravilhosa da forma como veio ao mundo. Esta parte da motivação vai mais além, passa por motivação em fazer-nos sentir bem, motivação em preparar-nos para enfrentar mais um dia e todos os obstáculos que à nossa frente serão colocados durante as seguintes 24 horas.

 

E pronto, para ser sincera, estes são os meus principais essenciais de maquilhagem. Claro que gosto de usar outras coisas, mas sinto que só isto faz algo impecável e bastante apresentável dependendo daquilo que consideram importante.

Só para terminar, para além de perguntar quais são os vossos, quero fazer uma pergunta ainda mais importante. Qual pensam que deveria ter sido o motivo por trás da criação da maquilhagem? Com isto, não vos pergunto qual foi, mas qual para vocês teria realmente algum sentido e acima de tudo, valor. Acho que é importante perguntarmo-nos isto porque acaba por nos dar uma noção de como nos sentimos acerca do tema e do quão confortável nos sentimos.

 

 

 

Pesquisar

Sobre mim

foto do autor

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D