Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chavena de Chá das Cinco

Uma chávena de chá, um prato com biscoitos e conversas intermináveis

Chavena de Chá das Cinco

Uma chávena de chá, um prato com biscoitos e conversas intermináveis

07
Jan18

Book Review | Eleanor & Park

Carlota

"Eleanor & Park" é um romance juvenil acerca de dois jovens inadaptados, cada um com os seus problemas, que por mera coincidência se conhecem numa manhã como qualquer outra no autocarro, em direção à escola.

Eleanor é uma menina ruiva que sofre de bullying na escola e tem problemas familiares a níveis dramáticos. Park é um rapaz coreano que simplesmente gosta estar no seu canto, sem chamar muito a atenção.

O que poderiam Eleanor e Park ter em comum? Aparentemente nada para além da esquisitice visível a olho nu.

O interessante da história é precisamente isso, - Eleanor e Park não são dois adolescentes estereótipo e clichê - estes dois "esquisitos" serem diferentes de todas as outras personagens principais de romances adolescentes.

Ainda assim, vivem um romance como o de qualquer adolescente, intenso e terno, mas de alguma forma único e cruel. Porque a vida deles não é a mais fácil, depende das interpretações.

Uma vertente que achei interessantíssima neste livro foi o facto de, para além de Rainbow Rowell ter fugido ao clichê do romance adolescente, ela também fugiu ao clichê de existir apenas um narrador.

A história é narrada por Eleanor e Park, o que nos faz perceber com mais facilidade, as posições e os pensamentos que ambos têm acerca do desenrolar da ação. Torna a compreensão da histórica muito mais clara, visto que mostra os esqueletos que ambos escondem no armário, onde também guardam os sentimentos que vão desabrochando com o passar do tempo.

Comprei este livro quando fui sair com as minhas amigas do 9º ano durante as férias do Natal, e adorei-o. Elas já o tinham lido e aconselharam-mo porque sabem que seria o meu tipo de livro, e elas acertaram.

Gosto de livros que mostram vários obstáculos e que me façam entender e viver os problemas da personagem com ela, e este livro deu-me essa vertente de uma forma incrível. Bastou-me ler a sinopse para ter a certeza que seria algo bem escrito e que eu gostaria.

Sem dúvida, é um livro que aconselho a todos os amantes de romances porque penso que nos mostra algo distindo do que se lê constantemente. Nem sempre o diferente é necessariamente bom, mas neste caso, garanto-vos que é uma mudança bastante positiva.

Deiam-lhe uma chance, nem que seja para se lembrarem daquela sensação que é estar-se apaixonado na adolescência (que convenhamos é das coisas mais estranhas e ao mesmo tempo agradáveis de sempre), porque acredito que vos vá fazer viajar para essa altura da vossa vida.

 

 

 

27
Dez17

Review | O Fim da Inocência

Carlota

Olá!

Volto hoje com uma review não só de um filme polémico que estava ansiosíssima por ver, como também do livro que o inspirou. No entanto, há que ter em mente que o filme e o livro serão sempre diferentes, visto que há sempre mudanças.

Acerca do livro, eu adorei-o e posso assegurar que é um daqueles livros que nos surpreende, e no meu caso, fui surpreendida pela positiva. 

É de leitura extremamente fácil, numa questão que se lê bem, no entanto conta com partes mais delicadas e fortes, digamos assim, que podem atrasar a leitura. É, por isso, um livro diferente. O facto de possuir uma linguagem tão direta e crua assusta qualquer um que não esteja preparado para aquilo que vai.

Apesar das crónicas chocantes de "Inês", aquilo que me choca é o facto de o livro não ser ficção. Porque toda a gente já ouviu falar de alguém que tem uma vida "buéda marada", mas do ouvir ao ser verdade, vai uma distância considerável causada pela tal história do maldizer ou do facto de "Quem ouve acrescenta um ponto". 

Creio que o facto de ser inspirado em factos verídicos torna o livro tão bem sucedido, afinal, quando ouvimos algo que é ficção ficamos todos chocados, mas quando é mesmo a realidade de alguém lá fora, alguém que pode estar tão próximo de nós ou que poderia ser alguém próximo de nós (quiçá, nós mesmos), marca ainda mais.

Por isso, sem alongar-me mais com este assunto, concluo dizendo que adorei o livro e marcou-me de tal forma que eu, Carlota Lopes de Almeida, miúda que não é amante da leitura, leu o livro em menos de 12 horas, tendo vontade de ler mais ainda.

Quanto ao filme, eu devo dizer que fiquei bastante desapontada. O filme é bastante do livro para poder ser uma adaptação do mesmo. Eu compreendo que se mudem algumas cenas devido ao teor de cenas inapropriadas (se fosse igual ao livro duvido que passasse nas salas de cinema, sequer), mas grande parte do enredo foi alterado, detalhes que mostrariam muitas razões pelas quais a Inês esteve na situação que esteve.

Assim, não vou falar daquilo que todos falam - sexo, drogas e álcool - porque está demasiado falado e já todos sabemos aquilo que nos dizem sempre. 

De igual modo, aquilo que retiro da história da Inês é que não acontece só aos outros, nós não estamos imunes aos perigos do mundo.

 

 

Pesquisar

Sobre mim

foto do autor

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D