Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chávena de Chá das Cinco

É chávena de chá só que agora bebe-se café

Chávena de Chá das Cinco

É chávena de chá só que agora bebe-se café

10 Coisas que me marcaram no Marés Vivas

Carlota, 25.07.18

Olá!

Depois de tanto tempo sem aparecer por cá, estou de volta. Durante este fim de semana fui para o Meo Marés Vivas, que para quem não sabe foi o meu primeiro festival, e decidi tirar uns dias para descansar um pouquinho e recarregar as baterias.

Posto isto, hoje decidi trazer-vos as 10 coisas que mais me marcaram no Marés Vivas, estando incluidos aspetos positivos e negativos. Portanto, cá vamos nós!

 

1. Os preços 

É assim, esses realmente deixaram uma marca vazia na minha carteira. Está lá o lugar, mas nada da quantidade (que ainda foi razoável) que trouxe lá para dentro. Os preços foram ridículos e senti-me extremamente roubada.

 

2. A maquilhagem

E se não marcou! Para verem, durante os três dias andei com um full glam escarrapachado na cara, agora imaginem eu versão zombie às 4 da manhã a tirar aquilo da cara. Certamente adorei esta parte, tanto que ainda tenho restos de glitter na cara (eu bem tento mas ficaram agarrados. De qualquer forma não se nota muito)

 

3. O cheiro a ganza

Todos os dias tomei banho duas vezes, era um cheiro a ganza que Jesus do céu. Quando acabou o festival, tive que deitar o meu casaco para lavar que desgraçada da peça de roupa, nem se podia chegar perto daquilo.

 

4. O concerto da Carolina Deslandes

Foi provavelmente a maior surpresa do cartaz inteiro. Fui assistir só porque sim e nunca pensei que fosse gostar tanto. Sem dúvida, a atuação revelação (na minha opinião). E quando ela cantou a Heaven ia chorando, foi bastante emotivo.

 

5. O chapéu da Code

Foi um amigo meu que eu já não via há imenso tempo que o ganhou para mim e uma das recordações que guardo. Sem dúvida que vou continuar a usar, modéstia à parte, fica-me bastante bem.

 

6. Ver o David Guetta ao vivo

Não sei propriamente o que pensar. Gostei bastante mas por outro lado nem tanto. Eu fiquei logo nas primeiras filas e deparei-me com situações bastante incómodas durante o concerto, como uma mulher que me ia queimando (propositadamente) o cabelo com um cigarro. No entanto, diverti-me imenso e o próprio DJ compensou o seu atraso. Cheguei ao fim do segundo dia completamente estourada, em grande parte, graças a ele.

 

7. Aturar bebedeiras de outros

Isto foi algo que detestei profundamente e me incomodou profundamente. Estão a ver aqueles grupos de pessoas bregas? Pronto, podem-me acusar de discriminação mas não gosto muito de bregeirice. Ainda assim, não foi isso que me irritou profundamente. Juntando a essa conduta que eu "adoro", juntou-se álcool excessivo que resultou num senhor que, durante o concerto dos Kodaline, me puxou o cabelo aí umas quatro vezes. Felizmente, depois consegui trocar de lugar e ele deixou de poder fazer isso, mas juro que quis reagir, ainda que soubesse que só pioraria a situação.

 

8. Presencear o cover do Listen

Provavelmente, este momento percorreu as televisões de todo o país, não sei ao certo. No entanto, para quem não sabe, durante o concerto da Rita Ora, esta deslocou-se à plateia e passou o microfone a um fã que fez um cover da Listen da Beyoncé. Eu estava extremamente próxima dele e fiquei incrivelmente surpreendida e derretida com o momento. Um momento a não esquecer.

 

9. Beber um Redbull de penálti

Pronto, acho que diz tudo e não preciso de dizer mais nada...

 

10. Conhecer uma blogger

É minha amiga desde que entrei na blogosfera e foi excelente conhecê-la finalmente. Fico muito feliz por fazer amizades novas a partir de algo que adoro fazer. Não vou identificá-la, mas ela sabe quem é. De qualquer forma, se quiser denunciar-se, é apenas com ela.

 

Por fim, quero expressar a minha felicidade ao ter sobrevivido aos três dias, estava a ver que me ficava pelo segundo. Diverti-me imenso e confesso que todos os concertos a que assisti valeram a pena. Artistas de extrema qualidade que serão sempre, sempre bem-vindos a Portugal (ainda que tenham mau perder e não toquem a música do Europeu).

Entusiasmo prévio

Carlota, 17.01.18

Olá!

Anteriormente, quando partilhei as minhas resoluções deste ano, falei-vos que uma delas estava em andamento - a do festival de verão.

Confesso que sempre desejei ir a um festival de verão, quer dizer, quando era pequena detestava música muito alta, mas desde que cheguei aos meus teenage years que desejava ir a um festival de verão, o que sempre foi algo que guardei para mim própria.

Lembro-me de conhecer pessoas que iam a festivais e falavam daquilo como sendo um mundo completamente à parte, o que me fazia querer mais ir a um, nem que fosse para ver se me estavam a dizer a verdade ou se estavam a hiperbolizar o que é.

Tinha amigos que iam, mas nunca tive coragem para pedir aos meus pais para ir com eles, talvez por "medo" da resposta, ou porque gozariam comigo por me querer meter num ambiente daqueles, como eles o descrevem.

No entanto, este ano eu e as minhas amigas mais próximas queríamos ir e como uma amiga minha tinha arranjado uma promoção (que acabou por ser cancelada), eu ganhei finalmente coragem para lhes pedir para me deixarem ir ao meu 1º festival de verão.

Para minha surpresa, eles deixaram-me. Disseram para juntar o dinheiro do bilhete e dar-lhes que iríamos à Fnac ou entraríamos na Ticketline para comprar o bendito do pedaço de papel que me daria acesso aos dias todos.

Este fim de semana, finalmente tive-o em mãos e senti-me extremamente feliz e entusiasmada por estar a cumprir algo tão grandioso - o meu primeiro festival de verão, quando terei a minha idade de sonho, 16 anos.

Assim, estou completamente entusiasmada com isto. Já estou a pensar no que vou vestir para os dias do festival, e como me vou maquilhar... Na verdade sinto-me uma daquelas miúdas (que nunca fui) que fica ansiosa com o primeiro dia de aulas do ano e escolhe a dedo o outfit para aquele que parece ser o dia mais importante do ano!

Agora é esperar (que será a parte mais difícil) que chegue o dia e pronto... (até perco as palavras só de pensar, o que é ironico, porque não penso em mais nada).

Quanto ao próximo ano, vou ver se os convenço a deixarem-me ir ao Sudoeste (não sei se vão nessa, mas vale sempre a pena tentar)!