Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Chavena de Chá das Cinco

Uma chávena de chá, um prato com biscoitos e conversas intermináveis

Chavena de Chá das Cinco

Uma chávena de chá, um prato com biscoitos e conversas intermináveis

08
Ago18

Back to School | Estar em Economia

Ontem falei um pouco do que significou estar em Economia e aquilo que sentia sempre que interagia com outras pessoas, incluindo todo o percurso que me levou a tomar a derradeira decisão. Hoje decidi trazer aquilo que é estar em Economia de forma mais objetiva, ou seja, aquilo que para vocês (se estiver aí alguém do meu curso, acuse-se) interessa realmente - as disciplinas e as dinâmicas de cada uma.

Primeiramente, quero dizer-vos que entendo perfeitamente o que se sente quanto a esta área. E entendo perfeitamente aquela pergunta por trás do tipo receio, é comum e não estão sozinhos. E eu vou fazê-la a mim própria e respondê-la o melhor que consigo por palavras minhas. Mas o que raio é Economia e o que é que se aprende?

Perguntei-me isto mesmo durante meses e ainda hoje não sei bem explicar de forma que fiquem a perceber. Economia A é uma disciplina que de certa forma estuda a população, o Homem, digamos assim. É uma Ciência Social que retrata a realidade do ser humano em sociedade numa vertente económica, ou seja, trata-se do estudo da atividade económica e dos fatores económicos. Sei que foi vago, mas há medida que eu falar das restantes disciplinas, vocês já vão ficar com uma ideia mais abragente.

A verdade é que o curso de Ciências Socio-económicas é um daqueles cursos para os quais nós vamos às cegas. Nunca tivemos certas disciplinas e nem fazemos uma mais pequena ideia sobre do que se tratam, e muitas vezes fazemos a típica exclusão de partes. Hoje vou dar-vos uma pequena noção daquilo que se tratam as disciplinas obrigatórias (não incluirá a opcional pois uns escolhem Geografia A e outros História B e não vale a pena falar de algo que nem todos têm).

 

Matemática A: É o bicho de sete cabeça que toda a gente pinta. Há quem obtenha altas classificações, depois existem pessoas como eu, cuja classificação é de 13 (miserável eu sei, tenho que trabalhar nisso). Considerei difícil (há que ter em conta que Matemática sempre foi a minha segunda pior disciplina teórica, seguida de Física e Química, nunca fui grande aluna, mas consegui tirar uma positiva bastante razoável) tendo em conta o meu nível. Comecei mal desde a lógica e desmotivei para o resto do ano, o que não é desculpa nem pode ser motivo para desleixar (não sigam o meu exemplo). Há matérias mais fáceis e outras mais difíceis, mas no geral é a disciplina que, para mim, exige mais trabalho. Esforcem-se desde o início e trabalhem todos os dias um pouco e com concentração, os resultados aparecerão.

 

Português: é uma disciplina transversal a todos os cursos e tive bastantes problemas com ela. No início do ano quase tirei negativa num teste, e ambas as classificações foram baixas. O primeiro período é, sem margem para dúvidas, uma dor de cabeça. Não querendo ser pessimista, mas é preciso saber interpretar até porque se trata de Português arcaico. No entanto, não é porque no início corre mal que depois se mantém. No meu caso, consegui subir bastante no resto da matéria e acabei com um excelente resultado. 

 

Inglês: É aquela disciplina que eu não dou feedback. Não quero ser convencida, mas a verdade é que eu não estudo para Inglês pelo simples motivo de saber a matéria toda de trás para a frente e de frente para trás. Fui reconhecida como bilingue pela minha professora, logo Inglês tornou-se a disciplina que me sobe ainda mais a média. Dá-se aquilo que se dá em quase todos os anos, mas confesso que o vocabulário me teria causado uns problemas se não pudesse recorrer ao uso de dicionário.

 

Filosofia: uma disciplina nova da qual ninguém faz ideia ao princípio. Ao contrário de muitos alunos, eu adoro Filosofia. Adoro todas as matérias sem exceção porque acho que são bastante interessantes, e não é uma disciplina tão teórica quanto isso. Eu acho que depende dos professores e do método de ensino, por exemplo, a minha professora não avaliava sempre os testes, nós fazíamos um teste e éramos avaliados por ele, mas depois tínhamos trabalhos e apresentações que contavam tanto quanto os testes, logo ajudava a subir a nota, mas também tornava as aulas mais interativas. Sem dúvida que é uma das minhas disciplinas favoritas.

 

Economia A: explicando melhor a disciplina. Está interligada com a História e com a Geografia, nomeadamente certos conteúdos que aprendemos no 3º ciclo (como a inflação, por exemplo) são explorados. No fundo sempre falámos de Economia, só não sabíamos que nome dar-lhe. No 10º ano damos uma introdução às Ciências Sociais, e em seguida começamos a falar do consumo, da produção, da distribuição, da repartição do rendimentos, dos mercados... 

Considero esta disciplina bastante interessante e é, sem dúvida, a minha favorita. Dá-me prazer estudar Economia pelo simples facto de gostar da matéria e gostar de perceber. Se me perguntam se gostei de tudo? Não, detestei, abominei os mercados (é a unidade que toda a gente ama). No entanto, apesar de parecer fácil, é uma daquelas disciplinas que exige muita dedicação porque é preciso saber muitas coisas e saber interligar conceitos. Algo que descobri é que nunca vou perceber tudo de uma vez, há coisas que demorarei anos a compreender porque simplesmente é assim. Não tenho maturidade para compreender. Tenho que saber, isso é certo.

 

Educação Física: consegui, surpreendentemente, ter nota superior a este desastre de disciplina que a Matemática. É assim, não há muito a dizer acerca disto. Dá-se o mesmo de sempre, gira o disco toca o mesmo.

 

Basicamente este foi o meu apanhado das disciplinas obrigatórias do curso. Eu posso dizer que é trabalhoso, e já cheguei a chorar de frustração graças à minha procrastinação. Lembrem-se só de uma coisa, ao procrastinarem, é menos uns pontos no teste. Eu passei o ano todo a fazer isto e cheguei ao fim do ano com uma média que apesar de boa, poderia ter sido melhor, se eu não tivesse passado o ano a deixar tudo para a última hora.

Desejo-vos sorte, independentemente do curso que tenham escolhido. Trabalhem e esforcem-se, mesmo quando as coisas começam a dar para o torto, lutem, peçam ajuda e verão que valerá a pena, nem que seja pelo facto de terem a consciência tranquila porque fizeram tudo o que estava ao vosso alcance.

Pesquisar

Sobre mim

foto do autor

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D