Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Chavena de Chá das Cinco

Uma chávena de chá, um prato com biscoitos e conversas intermináveis

Chavena de Chá das Cinco

Uma chávena de chá, um prato com biscoitos e conversas intermináveis

21
Out18

A importância de fazer análises

Desde criança que tenho imenso medo de agulhas. Sempre que era necessário levar uma vacina chorava às três pancadas e a única forma de me fazer comportar de forma minimamente correta era mesmo prometer-me que logo a seguir íamos comprar o meu gelado favorito ou comer a sobremesa que eu quisesse (mesmo à pirralha, mas pronto).

Não foi até por volta dos meus 13 anos, que as agulhas começaram a assumir um grande papel na minha vida. Praticamente todos os meses tinha que ir fazer análises a praticamente tudo, ou porque tinha que controlar a anemia que tinha na altura, ou porque precisava de manter um controlo ao que se passava com os meus triglicerideos e com o meu colestrol... 

Cheguei a ter problemas com a escola porque diziam que eu passava a vida metida no hospital a fazer análises. Lembro-me de ficar particularmente incomodada e até mesmo chateada com as observações feitas na altura. 

No fundo eu nunca cheguei a perceber o quão crucial era fazer análises até me deparar com uma realidade assustadora - a possibilidade de sofrer de diabetes. É uma doença que corre na família e assusta-me particularmente a possibilidade de algum dia chegar mesmo a sofrer deste mal que tantos mata. Tenho exemplos por perto do quão destruída a pessoa fica.

Penso que acontecimento após acontecimento, me tornei mais madura acerca do assunto. Sinto que me deram um abanão que me fez regressar è realidade e perceber que eu não sou menos nem mais que os outros e que não estou livre disto.

Quinta-feira fui ao médico e, por iniciativa própria, pedi para fazer análises. Cheguei à conclusão que prefiro saber se tenho algo ou se tenho riscos de ter, não quero que as coisas cheguem tão longe quanto vi chegar.

Por isso, se como eu têm medo do resultado das análises, peço-vos como cidadã preocupada que pensem nisto, que olhem no vosso redor e que reflitam acerca do assunto. Tirar sangue dói, mas preferem que a dor da espetadela de uma agulha de forma pontual, ou preferem espetar agulhas para o resto da vida, mais que uma vez por dia?

Pensem nisso como eu pensei e reflitam. Ter uma doença é mau, mas mais vale a pena descobrir a tempo que deixar que ela nos passe por cima mais cedo que aquilo que tem que passar (no caso de ser crónica, claro).

 

Pesquisar

Sobre mim

foto do autor

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D