Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chávena de Chá das Cinco

É chávena de chá só que agora bebe-se café

Chávena de Chá das Cinco

É chávena de chá só que agora bebe-se café

Sab | 30.11.19

Parece que tenho um mês para viver um ano!

Carlota

Estão a ver como todos os anos fazemos falsas promessas sobre o ano que se seguirá? Gostaria de dizer que não sou culpada do mal de que quase todos sofremos - dizer que vamos fazer em vez de o fazer.

Eu sei que devem estar um bocado à toa com o que eu estou para aqui a dizer, se bem que outra parte de mim me diz que muitos de vocês sabem exatamente daquilo que estou a falar. Para quem não sabe, passo a explicar, falo das malditas resoluções de ano novo.

Este ano não me recordo de ter feito aquilo que sempre fiz - a lista. Penso que devo ter deixado de fazer isso por volta de 2018 (se houver um post no blog acerca disso, podem bater-me que eu deixo só não me espanquem, ok? Uma palmadinha pode ser mas não vamos tornar isto um post para maiores de 18 anos digno de um aviso de violência), mas dou por mim a fazer um apanhado das metas que gostava de atingir sabem?

Este ano, não vou mentir, vou fazer uma lista básica para o próximo que depois planeio em talvez divulgar por aqui. No entanto, durante a minha jornada neste planeta, apercebi-me que é melhor guardarmos as nossas metas e aspirações para nós próprios. Por vezes, partilhar tudo com terceiros é dar um tiro no pé e eu não desejo fazer isso a mim própria, pelo menos não outra vez.

Mas pronto, sinto que me estou a desviar muito do meu ponto que é, no final de 2018 fiz uma espécie de lista mental muito resumida e dei por mim a não cumprir tantas coisas quanto aquelas que gostaria de ter cumprido e, fazendo o balanço da minha situação, cheguei a uma conclusão: tenho um mês para viver um ano!

Parece pouco mas quando colocamos tudo em perspetiva e juntamos uma boa música a estes pensamentos, damos conta de que a vida são dois dias. Nós não vamos fazer tudo aquilo que queremos fazer em dois dias, mas nós vamos vivê-los como se não fôssemos viver mais, porque a verdade é que não iriamos viver mais que isso, independentemente daquilo que pensamos.

2019 tem-me tratado com justiça. Está a ser um bom ano. Não está a ser o melhor ano da minha vida, mas não está a ser o pior. 2018 não foi o pior, mas foi muito mau. 2017 foi o melhor ano da minha vida até agora.

Eu tenho um mês para marcar o meu 2019 mais positivamente. Não sei se seria capaz de o fazer por mais que tentasse, mas sei que posso tentar e sei que nunca saberei se não o fizer.

Por isso, se 2019 não está a ser o vosso ano, desafio-vos a colocarem os fones nos ouvidos, ouvirem Finneas ou Billie Eilish (ou qualquer música que vos deia que pensar) e refletirem acerca destes últimos onze meses e, se concluirem que este ano não foi o vosso ano, lembrem-se que têm um mês para o marcar. Façam como eu e vivam-no o melhor que conseguirem.

Vamos fazer isto juntos!

Vamos viver um ano num mês.