Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Chavena de Chá das Cinco

Uma chávena de chá, um prato com biscoitos e conversas intermináveis

Chavena de Chá das Cinco

Uma chávena de chá, um prato com biscoitos e conversas intermináveis

29
Set18

#14 Carlota Isabel, mas o que vem a ser isto?

Como todos sabem (pessoal que já passou por lá) ou devem calcular (pessoal que ainda está para passar), os anos do secundário são verdadeiras novelas mexicanas carregadinhas de drama, de boatos, de mexericos, de relações fast-food e tudo aquilo que possam imaginar relacionado com estes poucos exemplos do que é a vida do Secundário.

É engraçado como na Preparatória, ou 2º e 3º ciclo (como quiserem chamar) já era assim, e que estando com um pé na Faculdade e um no Secundário pouco ou nada mudou. Devíamos ser mais responsáveis e mais maduros, mas acho que isso não foi bem aquilo que aconteceu.

Quem pergunta de onde este pensamento mirambulante saiu, já devem estar a calcular de onde. Mas pronto, vou falar e "fofocar" com vocês porque apeteceu-me e tem piada e eu nunca fofoquei com vocês e assim pronto, ficam a conhecer as fofocas relacionadas com a minha pessoa.

Para quem não sabe, o meu primo e os amigos dele foram para a mesma escola onde eu ando, o que equivale ao facto de nos vermos umas vezes. E pronto, para quem não sabe o meu primo foi o meu primeiro amigo e crescemos muito juntos, o que faz de nós muito próximos. Ora isso equivale ao facto de eu ter que ver e conviver com os amigos dele dos quais gosto. Mas gosto ponto e vírgula porque há um que... nope, não me convence. Resumidamente conheço-o desde que tínhamos uns oito anos e desde aí que nunca nos demos. Não sei ao certo como começou mas epá, é daquelas pessoas que não dá, simplesmente não dá!

A verdade é que já não via o rapaz há uns anos e pensei, com grande inocência, que ele se tinha esquecido da minha pessoa até porque pronto, não nos tínhamos visto muitas vezes depois de ele sair da escola onde eu andava. Mas não, ele ainda se lembra bastante bem de mim. Tão bem ao ponto de chamar a atenção das minhas colegas que se babam por ele.

Tudo começou quando o meu primo e eu nos encontrámos e a sua excelência lá estava. Eu, pessoa que se preze, apresentei o meu primos às minhas amigas, as minhas amigas ao meu primo, ignorando-o completamente (o que acabou por falhar redondamente visto que acabei por ter que o apresentar, bleh). Desde aí que sempre que me encontra no corredor tem um fetiche (que não é de hoje) de me provocar. Geralmente, a provocação mais usada é o "Hey, Carlota! Continuas baixinha", à qual eu respondo algo igualmente impróprio e embaraçoso, provocando o riso dos amigos dele. Outras vezes é "Hey, Carlota! Esse ruivo vai de mal a pior!" e por aí fora. Escusado será dizer que os amigos dele já me conhecem, ainda que eu mal tenha olhado para eles. E como é que sei que são amigos dele, porque chega a um ponto que se passar por eles no corredor tenho observações como "Hey, Carlota! Tens sorte que o S. não está cá!". Sou mais conhecida que o tremoço, agora.

No entanto, a teoria da conspiração não foi criada até à aula de Educação Física onde a turma dele estava a fazer condição física ao lado da minha. Nós, como alunas mais velhas, tínhamos que apreciar caloiros porque pronto, está na nossa natureza (não são só os rapazes que andam a apreciar as raparigas). Eu, como faço parte do banco dos lesionados, não faço aula e estive a observar a turma dele em vez da minha deprimente turma. 

Enfim, tudo isto para as minhas amigas começarem a dizer que ele é super giro e que não se importariam nadinha de ter nada com ele e não sei quê. Ora, eu achei esquisito. Ou melhor, eu ainda acho esquisito porque para mim ele é um miúdo, um dos amigos do meu primo, ele é um cabeça no ar e um chavalinho!

E pronto, aparentemente eu supostamente tenho um fraco por ele e todas as provocações são amor reprimido, o que é a única explicação plausível para o facto de eu ficar "chateada" com os comentários delas.

Vamos lá a ver, confesso, ou melhor, eu admito, a puberdade fez-lhe muito bem, mas isso não altera N-A-D-A! Eu, Carlota Isabel Lopes de Almeida nunca teria nada com aquele rapaz em específico, ou com um amigo do meu primo, para que conste. Para mim o S. é um mero miúdo que faz sucesso entre raparigas, que não é feio, mas que é demasiado imaturo para o meu gosto. Não engulo essa, nem nunca hei de engolir.

E pronto, aqui têm uma fofoca sobre a minha vida. Sinto que sabem pouco sobre a minha vida pessoal, mas vá já têm um bocadinho de juicy drama para terem uma impressão de mim mais teenagy. Muitos de vocês dizem que sou demasiado madura para a idade, e ainda que isso possa ser verdade, também tenho o meu lado adolescente com o drama estúpido. Pronto, hoje ficaram a conhecê-la. 

2 comentários

Comentar post

Pesquisar

Sobre mim

foto do autor

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D